Journal from the darkness – Day 3

Hoje tomei um remédio inteiro pela primeira vez. Ainda é cedo para sentir alguma diferença.
Eu me lembro de uma antiga história do Sargento Rock, muito adiantada para a época (final dos 50s ou início dos 60s) pela profundidade com que abordava seus temas.Nessa história em particular, a Companhia da Moleza recebe um novo soldado, um cara bem durão, que ao avistar o soldado Jack Johnson, negro, diz ao sargento:-Pensei que não recebiam tipos como esse nessa companhia, sargento. Rock responde: Aqui na Moleza (Easy Company, no original) Só existe uma cor: a do uniforme. E não se meta com Jack, ele foi campeão mundial dos pesos pesados.
-Pouco me importa- responde o soldado
Após mais uma provocação a Jack,  que nunca reage a elas, Bulldozer, um barbudão gigantesco toma partido e desfere um socão na cara do provocador. Ele responde com uma frase que adotei para sempre: -Nas montanhas de onde venho, qualquer menino bate mais forte que isso.
Os dois se atracam, mas Jack os separa e tenta mais uma vez contemporizar:
-Soldado, acho que estamos todos do mesmo lado. Que tal esquecermos tudo isso? -e estende a mão fraternalmente.
-De onde venho, quando alguém como você estende a mão, a gente faz isso…
E joga uma moeda na mão de Jack, que a cerra e não a solta mais.
As batalhas vão se desenrolando, mas Jack está sempre com a mão apertada, segurando aquela moeda, e o sargento percebe que "aquela maldita moeda vai continuar queimando a mão de Jack".
Até que finalmente, na batalha derradeira, o soldado chato leva um tiro e vai ser esmagado por um tanque. Jack o segura e atravessa uma barreira de soldados alemães, sempre protegendo o soldado que carrega no ombro. Quando ele finalmente consegue chegar junto à companhia, Rock percebe que Jack também havia levado um tiro.
No hospital, Jack recebe a visita do soldado, que o agradece e faz um pedido:
-Pode me devolver aquela moeda?
-Eu a estava guardando para você, soldado… e solta-a da mão.
Rock olha em nossa direção e diz: -Como eu disse antes, aqui na Moleza só existe uma cor, a do uniforme.
 
Do caralho mesmo, Joe Kubert era genio.
Eu tb tenho a minha moeda, quer dizer não é bem uma moeda, mas carrego comigo e está me queimando a cada dia que passa.Pensei muito nisso, quando resolvi tomar esses remédios, que podem me afetar para o resto da vida, mas não vi outra opção. Não aguentaria passar o inferno desse fim de semana de novo,não acho que fosse capaz de sobreviver. Mas minha batalha ainda está apenas começando. Acho que essa porra ainda nem começou a fazer efeito de verdade…
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s